São Camilo de Lellis

349

São Camilo de Lellis, cresceu e viveu ao lado da mãe, Camila, uma boa cristã que lhe educou dentro da religião e dos bons costumes católicos. Camila, veio a falecer quando Camilo ainda era criança, tinha apenas 13 anos, por ser rebelde e não gostar de estudar, seu pai João, decidiu levá-lo para acompanhar em seu trabalho, onde era militar. Viciado em jogos, Camilo vivia de quartel em quartel, ganhando e perdendo tudo o que possuía. Seu pai Joao, veio a falecer quando Camilo tinha apenas 14 anos, foi quando ele após uma conversa com um frade franciscano decidiu ingressar na Ordem, mas foi recusado, porque apresentava uma úlcera no pé. Por conta da úlcera, Camilo, foi enviado ao hospital de São Tiago, em Roma, onde foi diagnosticado com um tumor incurável. Sem dinheiro para o tratamento, Camilo conseguiu uma troca, trabalharia e teria o tratamento para sua doença. Mesmo com a ajuda, Camilo afundou-se no jogo, sendo assim expulso do hospital. Sabendo que o mosteiro dos Capuchinos estava sendo construindo pediu emprego como ajudante de pedreiro e foi aceito.

O contato com os franciscanos foi fundamental para sua conversão, um dia a caminho do trabalho teve uma visão celestial, nunca revelada a ninguém. Camilo, abandou o jogo e tentou ingressar na Ordem do Franciscanos, sem sucesso por conta da ferida no pé. Os franciscanos o ajudaram a retornar ao hospital São Tiago para retomar o tratamento, onde passou quatro anos, Camilo, já tocado pela graça além do seu próprio tratamento auxiliava no tratamento de outros enfermos como voluntario.

Em 1584, Camilo viu o próprio Cristo e passou a cuidar e a viver por eles. Foi quando constituiu uma irmandade de voluntários para cuidar e ajudar enfermos pobres, que depois foi intitulada Congregação dos Ministros Camilianos. Em 1591, o Vaticano elevou a instituição de Camilo a Ordem Religiosa Católica.

Camilo, recebeu o dom da cura pelas palavras e orações, logo sua fama de padre milagroso correu entre os fiéis, ele era um homem querido em toda a Itália. Camilo morreu em 14 de julho de 1614 e foi canonizado em 1746. São Camilo de Lellis, em 1886, foi declarado o padroeiro dos enfermos, dos doentes e dos hospitais.